Jósimo Puyanawa, indígena pesquisador e antropólogo (4-30-20)

Jósimo Puyanawa, indígena pesquisador e antropólogo nos apresenta os informes do seu povo sobre a pandemia Covid-19

Laboratorio Matula, Universidade de Brasilia

30 Abril 2020

View this post on Instagram

Jósimo Puyanawa, indígena pesquisador e antropólogo nos apresenta os “informes” do seu povo sobre a pandemia Covid-19. De acordo com os anciãos Puyanawa, almas/serpentes venenosas invisíveis se espalharam pelo mundo e podem ser esse inimigo invisível que enfrentamos. As soluções para esta pandemia podem estar no encontro de saberes, onde as ciências indígenas, que historicamente foram menosprezadas, atuem em conjunto com outras ciências e epistemologias. É preciso reconhecer o protagonismo da ciência indígena no mundo, pois seus modos de manejar a floresta, o cuidado no plantar, colher, coletar, caçar e pescar sustentam a convivialidade entre seres visíveis e invisíveis, humanos e não-humanos. Aceitando o desafio de Jósimo ao falar da possibilidade do diálogo entre epistemes, vemos a potência da interação da ciência Puyanawa se encontrando com pesquisas feitas na Universidade da Columbia e Califórnia que apontaram a presença de grande quantidade de coronavirus entre morcegos na floresta amazônica. As almas/serpentes se espalharam e estão por aí, temos que saber manejá-las com respeito e com a sabedoria dos nossos anciões, e entender que isso também é uma forma de nos proteger delas. A solução para essa pandemia que extrapolou o corpo desses animais está, nas palavras de Jósimo, na forma como manejamos e cuidamos da floresta. A solução não está no extermínio dos morcegos que cumprem um papel no ambiente ou no desmatamento da floresta, essas ações amplificariam o problema, mas em saber cuidar e viver na floresta com os seres que a habitam, em proteger os territórios e as ciências indígenas. Em tempos de ataques às vidas e ciências indígenas é urgente ouvir as epistemologias que povos tradicionais há séculos produzem e tentam nos dizer, pois essas já nos informavam sobre a tragédia que iria se instaurar e se instaurou. (segue nos comentários)

A post shared by Laboratório Matula (@laboratoriomatula) on

Jósimo Puyanawa Laboratorio Matula